Inscrições  |  Meus dados  |  Área Restrita
Federação Espírita de Mato Grosso do Sul

Estudo continuado do Livro Dos Espíritos


ESTUDO SOBRE A QUESTÃO Nº 48

Questão nº 48.

Podemos conhecer a época do aparecimento do homem e dos outros seres vivos na Terra?

Resposta

“Não; todos os vossos cálculos são quiméricos.”

***

Na questão n. 42, vimos que os cientistas estimaram a idade da Terra, pelo “método da datação radioativa”, em cerca de 4,56 bilhões de anos. Vimos, também, que os Espíritos foram humildes em reconhecer que somente o Criador sabe, com precisão, o tempo que dura a formação dos mundos, aí incluída a Terra, sobretudo se levarmos em consideração que o FCU – Fluido Cósmico Universal, de onde se origina a matéria densa, é imponderável aos aparelhos humanos, conforme ensinam os Espíritos Superiores.

Igualmente difícil, para não dizer impossível, é mensurar, com precisão, a época do aparecimento dos seres vivos na terra, considerando que estes nunca se mostram desde o início de sua existência como os conhecemos nos indivíduos adultos. Vegetal ou animal, os seres vivos procedem sempre de um gérmen, inacessível aos aparelhos humanos.

É sabido que a Terra, no seu início, experimentava altíssimas temperaturas. Nenhum ser vivo poderia sobreviver em condições tão adversas. Nem mesmo certos compostos químicos teriam suportado temperaturas tão elevadas, notadamente aqueles via de regra indispensáveis à formação das células vivas.

A respeito deste tema, colhemos os seguintes dados, coligidos pelo saudoso pesquisador espírita Hernani Guimarães Andrade (1913-2003):

“Os mais remotos vestígios de organismos vivos foram encontrados em rochas antiquíssimas, na África (...) De acordo com tais achados, supõe-se que seres orgânicos ultrarrudimentares e dotados de vida teriam aparecido sobre a Terra, há cerca de 3,1 bilhões de anos atrás.  Isto significa que foram necessários perto de 1,5 bilhões de anos, para que a Terra se resfriasse ao ponto de criar condições de abrigar em sua superfície as primeiras organizações moleculares capazes de manifestar funções biológicas.

Em nossa escala humana, um bilhão e quinhentos milhões de anos é, sem dúvida, um tempo enorme. Entretanto, na escala cósmica, tal intervalo de tempo não é excessivamente grande. Podemos, mesmo, considerar que, para atingir-se a solidificação das rochas superficiais, a formação de mares e o resfriamento necessário para serem instalados seres dotados de vida, aqui na Terra, o lapso de 1,5 bilhões de anos é relativamente curto.”  (In Psi Quântico. Uma Extensão dos Conceitos Quânticos e Atômicos à ideia do Espírito. 1a ed. Votuporanga-SP: Editora Didier, p. 148). Destaquei.

+++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++

“O aparecimento do homem sobre a Terra foi precedido de extenso preparo. Milhões e milhões de anos foram necessários para que o nosso planeta se tornasse apto a produzir a vida. Esta evoluiu lentamente, ascendendo de degrau em degrau, ensaiando bilhões de modelos e tipos, até conseguir galgar o nível atual de manifestação da inteligência e da razão.

De acordo com os mais modernos processos de medida do tempo geológico, baseados na determinação dos depósitos de elementos radioativos presentes nas rochas, a formação da Terra deve ter-se iniciado há cerca de quatro bilhões e seiscentos milhões de anos. Têm-se indícios de que a vida surgiu há mais ou menos três bilhões de anos; começou nos oceanos e, pouco a pouco, conquistou também a terra firme. A vida, partindo das ultramicroscópicas formas biomoleculares iniciais que primitivamente se desenvolveram nos tépidos mares da Era Arqueozóica, consumiu perto de 900 milhões de anos para atingir a organização biológica dos crustáceos e moluscos do Cambriano. Outro lance de 325 milhões de anos foi necessário para que os peixes, plantas terrestres, insetos, anfíbios e répteis aparecessem, preparando o advento dos mamíferos do Triássico. Acelera-se, então, o movimento ascensional da evolução biológica, pois apenas mais 125 milhões de anos bastaram para que surgissem os nossos ultrarremotos antepassados, os lêmures e os társios do Eoceno. Estes últimos, em menos de 50 milhões de anos, originaram os macacos e os antropoides que precederam o advento do homem sobre a Terra.” (In A Transcomunicação Através dos Tempos. São Paulo: Fé Editora Jornalística Ltda., 1997, p. 17-18). Grifos meus.

Saliente-se que, na época de Kardec, a Ciência ainda não estava tão adiantada como na atualidade, todavia, mesmo com todo o progresso dos últimos tempos, os cálculos científicos sobre o aparecimento dos seres vivos e do homem na Terra constituem meras estimativas, cujos segredos estão guardados nos arcanos do Criador.  



Publicado em

HOME SOBRE A FEMS EVENTOS DOWNLOADS VÍDEOS ARTIGOS E ENTREVISTAS NOTÍCIAS LINKS CONTATO
Copyright © 2019 FEMS - Federação Espírita de Mato Grosso do Sul. Todos os direitos reservados - Avenida Calógeras, 2209 - Centro, Campo Grande - MS, 79004-380