PREVENÇÃO AO SUICÍDIO: URGÊNCIA MUNDIAL (OMS)

Partindo do ponto de vista de que a vida pertence a Deus, e que somente Ele pode dispor, de que a encarnação nos é dada para progredirmos espiritualmente, o fenômeno da morte constitui uma fatalidade da qual ninguém consegue eximir-se.

Infelizmente, há irmãos que optam por um caminho menos feliz, que é o suicídio. Jesus sabia da potencialidade de Judas Iscariotes, mas sabia também que ele poderia falhar. E a sua falha, que foi o suicídio, foi triste, pesarosa, porque logo percebeu que não era este o caminho. O fenômeno da morte é uma fatalidade obrigatória para os encarnados, mas não devemos, especificamente por meio do suicídio, antecipar esta fatalidade.

 A Organização Mundial da Saúde (OMS) e a International Association for Suicide Prevention (IAPS) instituíram em 10 de setembro de 2014 como o Dia Mundial para Prevenção do Suicídio. A OMS divulgou dados do primeiro Relatório Global para Prevenção do Suicídio. Foi um dia muito importante para a OMS que vem tentando sensibilizar jornalistas e comunicadores com o tema. Embora, com atraso, a OMS publicou o relatório sobre esse assunto. São dados impressionantes e alarmantes!

Devemos, TODOS NÓS, com sucesso e galhardia, aderir a essa campanha. Não basta apenas rotular, como sendo mais um a fazer parte da campanha, mas querer saber, se interessar, se informar realmente. É algo extremamente difícil, principalmente, porque os dados envolvem não somente idosos e mulheres, mas também os jovens.

A cada dia se tem notícia, pelos meios de comunicação, de jovens que consciente ou inconscientemente, colocam em risco suas próprias vidas. O comportamento suicida indireto implica em atividades perigosas, sem que exista uma intenção consciente de morrer.

Como exemplos de suicídio indireto incluem o consumo excessivo de bebidas alcoólicas, o uso de qualquer tipo de droga, o consumo de cigarros.

No relatório, não há nada sobre suicídio indireto dos jovens. É plausível olhar em derredor e ver o que está acontecendo nas grandes metrópoles como nas pequenas cidades. A droga faz parte deste relatório sim, embora o faça de forma velada.

A OMS revela que mais de 800 mil pessoas dão fim à própria vida todos os anos no mundo. Ainda de acordo com a OMS, o suicídio é um grande problema de saúde pública, de acordo com o Ministério da Saúde cerca de 75% dos casos ocorrem em países de baixa e média renda.

 O relatório aponta que o envenenamento, o enforcamento e o uso de armas de fogo são os métodos mais comuns de suicídio global. Atualmente, apenas 28 países são conhecidos por terem estratégias nacionais de prevenção do suicídio. É muito pouco se tratando com vida. Os países mais ricos fazem a sua prevenção, embora com certa cautela, com certa restrição, os países do 3º mundo não.

Acredito que após o relatório da OMS a tendência será um acompanhamento melhor e mais profícuo. O levantamento diz ainda que a cada 40 segundos uma pessoa comete suicídio e o tabu em torno deste tipo de morte impede que famílias e governos abordem a questão abertamente e de forma eficaz.

No Brasil o suicídio vem aumentando de forma progressiva, embora, as taxas de suicídio sejam consideradas baixas. Ocupa o 113º lugar no mundo, e 8º na América Latina.

Dentro do país as taxas são distribuídas desigualmente. São mais baixas no Norte e muito mais alta na região Sul, onde, em várias cidades, se assemelham às da Europa Central. Acredito que este aumento progressivo se deva ao suicídio indireto, nos jovens.

 

O homem que perece vítima do abuso de paixões que, como sabia, iriam acelerar seu fim, mas às quais ele não pôde resistir, pois o hábito fez dessas paixões verdadeiras necessidades físicas, está cometendo um suicídio?

R. – É um suicídio moral. Não compreendeis que, nesse caso, o homem é duplamente culpado? Há nele falta de coragem e bestialidade, além do esquecimento de Deus.

Livro dos Espíritos. Questão 952

 

Qualquer ato contínuo ou esporádico de irresponsabilidade para com o corpo físico, diminuindo o tempo esperado da existência é considerado como suicídio indireto ou inconsciente. O homem predestina-se a ser um ser desenvolvido, mas este fato pode demorar milhões de anos. O toxicômano faz com que retarde ainda mais sua evolução.

Assm, de acordo com a OMS e com a Doutrina Espírita, urgem que intensifiquemos e aprimoremos cada vez mais ações específicas nesse campo.

 

Cilene Queiroz, escritora, bióloga, MSc em Sistema de Produção em Agronomia

Avenida Calógeras, 2209 - Centro, Campo Grande - MS, CEP 79004-380
 (67) 3324-3757    99864-3685